Empresário leva seu Chrysler 300C à loja de acessórios e nem precisa falar nada. Dias depois, seu som está pronto, do jeitinho que ele queria!

As relações comerciais muitas vezes chegam a tamanho grau de confiança que o cliente simplesmente deixa a critério do fornecedor do serviço, ou da mercadoria, a escolha do que seria o melhor para ele, cliente. Exemplos não faltam: o alfaiate acostumado com o gosto do freguês já sabe como talhar o terno, e até escolher o tecido, se for o caso. O barbeiro velho conhecido também não costuma perguntar como vai ser o corte de cabelo. Já vai deslizando a tesoura com a certeza de que não decepcionará o cliente. Quando o assunto é som automotivo, isso também costuma acontecer. “Eles já conhecem o meu perfil e sabem o que espero de um sistema de som”, vai logo dizendo o empresário Carlos Eduardo Braz de Oliveira, de 33 anos, sobre como explicou aos donos da Impacto Audio o que desejava instalar em seu Chrysler 300C. “Já fizemos outros carros dele e sabíamos o que ele esperava quando nos trouxe o sedã”, confirma Armando dos Santos Chagas Junior, sócio proprietário da loja, localizada em Diadema, na Grande São Paulo.

Dentre as expectativas de Carlos Eduardo estavam a manutenção dos equipamentos originais, como a central multimídia e os kits de voz, e a adição de graves profundos e prolongados para dar mais “peso” às seleções musicais preferidas do empresário. E o profissional, sem muitas perguntas, tratou de fazer o que o cliente esperava.

Isso fica!

Segundo Junior, o sedã da Chrysler já oferece, de fábrica, um sistema de entretenimento de qualidade. Integrada ao painel há uma central multimídia com tela de 9”, DVD player e GPS. As frequências são reproduzidas por um kit 2 vias nas portas dianteiras e falantes coaxiais na traseira, além de um canal central, tudo da marca Alpine. “Diante desse cenário, mantivemos o som de fábrica e nos concentramos em providenciar os graves como o Carlos Eduardo queria”, conta. De acordo com Junior, um amplificador também integra a lista do som original, mas suas funções foram transferidas, via processador de áudio, para um aparelho 5.1.

Isso entra!

Para o porta-malas, os profissionais da Impacto Audio construíram uma caixa acústica dutada com duas câmaras de 42 litros cada e dutos de 3” x 36 cm. Elas abrigam dois subwoofers JL Audio de 10”, modelo WO, responsáveis pela reprodução das baixas frequências. Junior explica que a escolha das caixas dutadas se deu para a obtenção do que ele chamou de “graves de alta performance”. “Esse tipo de caixa, embora ocupe mais espaço se comparado a uma caixa selada, permite a obtenção de subgraves mais profundos e prolongados”, ensina. Os falantes foram envolvidos por fitas de LED’s brancos, que se acendem quando o som é ligado ou quando o porta-malas é aberto.

No assoalho do compartimento, foi construída uma nova base que abriga um amplificador DAT 5.1 canais, responsável pela alimentação de todos os canais de áudio, e um processador de som Audison Bit Ten D. De acordo com o instalador, o processador “pega” o som do amplificador original, em quatro canais, faz a conversão e cria saídas para os canais dianteiro, traseiro, esquerda, direita e subwoofer. “São mais de 30 bandas de equalização disponíveis”, resume. Após as regulagens técnicas do sistema, sobram para o consumidor alguma poucas “brincadeiras”, disponíveis em um display do Bit Tem D instalado no painel central do carro. “Ali o proprietário pode regular o “ganho” de acordo com a música que estiver ouvindo no momento”, diz Junior. Esses dois equipamentos foram revestidos com uma moldura de madeira pintada na tonalidade black piano. Na lateral esquerda do porta-malas, uma luz de cortesia ilumina a logomarca da loja.

Sobre trilhos

Para permitir o acesso ao pneu estepe e às ferramentas, o pessoal da Impacto projetou essa base que abriga o ampli e o processador sobre trilhos. “Quando houver necessidade de trocar o pneu, basta deslizar esse assoalho para debaixo da caixa”, conta. Todo o compartimento foi revestido com carpete.

O cuidado da montadora com a prevenção de ruídos dispensou a equipe da loja de se preocupar com forração acústica. O cabeamento utilizado inclui cabos Ophera e RCA Stinger.

Para o proprietário, não houve surpresas. Depois dos cerca de 20 dias que duraram o trabalho, Carlos Eduardo já sabia que o resultado sairia de acordo com suas expectativas. Eclético, o empresário diz que costuma ouvir desde sertanejo, MPB, até rock e black music.  “Às vezes coloco o som para tocar com o porta-malas aberto, em festas com os amigos, e aí uso as regulagens do processador para ganhar um pouco mais de volume”, explica. Além do sistema de áudio, o empresário planeja substituir as rodas originais, de 18”, para redondas gigantes, com 24”, para dar um toque exclusivo ao seu sedã.

Ele diz que costuma trocar de carro a cada dois anos e que, depois que conheceu, não abre mão do som de qualidade. Alguém adivinha onde ele vai levar sua próxima caranga?

Quem fez:

Impacto Audio. Tel. (11) 2311-9666.

Ficha técnica

Chrysler 300C 2012

Som

Central multimídia original

Kit duas vias e canal central Alpine originais

Amplificador DAT 5.1 canais

Dois subwoofers JL Audio WO de 10”

Processador de áudio Audison Bit Tem D

Fiação Ophera e cabos RCA Stinger

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA