Corsa com projeto de baixas frequências trabalha como garoto-propaganda de loja de Santo André. Confira!

É bastante comum, no segmento de som automotivo, os instaladores e donos de loja utilizarem o recurso do carro-show para demonstrar aos seus possíveis clientes o que eles são capazes de fazer. Então, não se surpreenda se você entrar em uma dessas lojas e der de cara com um carrão no qual se pode ver – e ouvir, claro –, um sistema de som de alta qualidade, ou mesmo um bem equilibrado sistema de trio elétrico.

Este é o caso, entre muitos, de Marcelo Campanha, de 38 anos, proprietário desde 2001 da loja Campanha Som, em Santo André, na região do ABC. A loja de Marcelo é especializada em som, alarmes, películas e itens de segurança, como travas e vidros elétricos. E Marcelo chegou à conclusão de que estava precisando dar um “up” nos negócios. Foi então que decidiu montar um projeto que envolvesse a customização, preparação e, claro, sonorização de um carro para participar de eventos.

Primeira impressão

O carro escolhido foi um Corsa Wind 1.0 1995. O popular começou a mudar de cara com um envelopamento preto fosco, em contraste com o laranja no padrão fibra de carbono aplicado no capô. O teto é em fibra de carbono preto. O carrinho teve as redondas substituídas por rodas do Kadett GS, de 14”.

A suspensão foi modificada por meio do encolhimento das molas dianteiras. Na traseira, o peso do equipamento de som – cerca de 300 quilos – se encarrega de fazer o rebaixamento.

Treme-treme

Mas como a especialidade de Marcelo é o som automotivo, ele tratou de desenvolver para seu Corsa um sistema que chamasse atenção de verdade.  Focado na reprodução das baixas frequências (subgraves) o projeto do Corsa permite que ele participe das categorias SPL Show, tanto com o vidro aberto quando com a porta aberta, dos eventos do selo Velocidade Máxima.

Segundo Marcelo, foi feita uma parceria entre sua loja e os fabricantes Stetsom, de amplificadores, e FB Áudio (alto-falantes), que resultou em boas marcas e até recordes nessas categorias, tocando na frequência de 28 Hz. Essa faixa de frequência permite efeitos como o “hair trick”, que levanta a cabeleira dos ocupantes do carro, faz tremular bandeiras e coloca latinhas de refrigerante para rodopiar.

O projeto é comandado por uma central multimídia Pioneer 3580, de 2 din. O banco traseiro foi retirado para abrir espaço para acomodar sete baterias Impact, em um rack no lugar do assento.

No pequeno porta-malas do Corsa, Marcelo acomodou, em uma caixa acústica com duto tipo régua, dois subwoofers de 15” da FB Áudio. A caixa recebeu acabamento externo em fórmica e iluminação interna com LED’s brancos. O espaço originalmente destinado ao banco traseiro, Marcelo dedicou aos amplificadores do sistema. Um Stetsom 9k EQ, de 9.000 W RMS, se encarrega da alimentação dos dois subs. Um módulo Venon 600.4, também da Stetsom, toca dois drivers Selenium D250x, instalados juntos aos módulos e dois supertweters da mesma marca. Um terceiro módulo Stetsom, VS 250.2, se encarrega de um kit duas vias DAT, instalado nos espaços originais. O acionamento do sistema é feito por meio de um sequenciador Stetsom.

O Corsa da Campanha Som tem feito bonito nas etapas do Velocidade Máxima de que participou, com marcas recordistas de 146,5 dBs e 147,5 dBs. Mas, e quanto aos novos clientes? “Tenho feito alguns orçamentos”, brinca Marcelo.

Quem fez:

Campanha Som. Tel. (11) 3439-8421.

Ficha técnica

Corsa Wind 1.0 1995

SOM

Central multimídia Pioneer 3580

Kit duas vias DAT

2 subwoofers FB Áudio de 15”

2 drivers Selenium D250x

2 supertweeters Selenium

Amplificadores Stetsom 9k Eq, Venon 600.4, VS 250.2

CUSTOMIZAÇÃO

Envelopamento

Rodas do Kadett GS de 14”

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA