Audi TT recebe sistema de áudio com foco na qualidade e na definição. Graves fortes são um plus para manter a pegada com a capota aberta

O som original de um Audi TT é bom? Sim, é muito bom. O som original de um Audi TT pode ser melhorado? Pode, e muito! Não existem limites ou restrições para upgrades quando falamos de sonorização automotiva.

Mesmo um conjunto original muito bem projetado deixa espaço para melhorias em diversos aspectos.

Os ouvidos mais apurados sabem disso e aproveitam uma já sólida base para evoluir ainda mais.

Thiago Crispim, proprietário da loja paulistana FTS Som e Acessórios, é um profissional que possui na bagagem vasto currículo em personalização de sistemas de áudio em veículos sofisticados.

Um de seus principais e mais assíduos clientes é quem fornece boa parte desta matéria-prima.

Gil Carril, publicitário paulistano, já levou para a FTS 14 carros, ao longo dos últimos 10 anos, para a instalação de novos sistemas de áudio.

Boa parte desses modelos é de veículos de ponta e todos eles saíram de lá com qualidade e graves bem superiores aos que tinham quando entraram. O último a integrar esta lista é o Audi TT 2016 que protagoniza esta reportagem.

 

Extrema qualidade

O novo sistema de áudio foi projetado para oferecer ganho em definição, reforço nas frequências mais graves e potência, para que, mesmo com a capota aberta, os ocupantes pudessem desfrutar da melhor qualidade possível de reprodução.

Se há um dispositivo que não precisou de melhorias nesse conjunto foi certamente a central multimídia original do modelo.

Ela apenas recebeu o auxílio dos recursos de áudio disponibilizados por um processador Alpine PXA-H800, com controlador RUX-C800 acomodado no console central.

Na frente, os alto-falantes originais deram lugar a um kit duas vias DLS, modelo uPi-6. Enquanto os médios possuem 6”, os tweeters foram acomodados no painel e direcionados, de maneira a melhor despejar as altas frequências na cabine.

Todo o interior do TT recebeu tratamento acústico por meio da utilização de mantas Silent Coat.

 

Encaixe perfeito

Atrás dos bancos, em um acabamento desenvolvido em fibra de vidro e poliuretano e revestido com curvin, foram desenvolvidas duas caixas seladas, de 11 litros cada. Elas abrigam dois subwoofers Alpine, modelo SWR 823D, de 8”.

No porta-malas, foram acomodados dois módulos de potência, também da Alpine. Um quatro canais, para o estéreo, modelo PDX F6, e um mono, modelo PDX M12, exclusivamente para tocar os subs. A Monster Cable assina os cabos que fazem a conexão do sistema.

“Nós trabalhamos para projetar um som de qualidade, mas também pensando em não comprometer o espaço do porta-malas e muito menos a originalidade do carro”, lembra Thiago.

Já o proprietário, que usa o carro no seu dia a dia, para trabalhar, garante que procura melhorar a cada sistema de áudio, e que essa longa experiência que possui no som automotivo ajuda na hora da escolha e dos ajustes.

“Eu já usei várias marcas, então, com o passar do tempo, sei exatamente o que eu quero e o que prefiro. Tenho o costume se sempre buscar inovações e tecnologias novas. São mais de 10 anos fazendo som com o Thiago e posso te garantir que a gente sempre consegue algo novo”, afirma.

Gil Carril lembra que a parceria já conquistou prêmios em competições de qualidade de som com outros carros, e que apesar de não ter a intenção de participar de uma disputa com o TT, o som não fica para trás. “A definição é incrível. É muito gostoso de ouvir e isso é fundamental”, finaliza.

Quem já teve a oportunidade de ouvir o TT tocando em alto e bom som, sabe que a dupla, realmente, não está para brincadeira!

Quem fez:

FTS Som e Acessórios. Tel. (11) 2338-3387

 

Ficha técnica

Audi TT 2016

 

Som

Kit duas vias DLS uPi-6

Processador Alpine PXA-H800

Controlador RUX-C800

Subwoofers Alpine 8” SWR 823D

Amplificadores Alpine PDX F6 e PDX M12

Cabos Monster Cable

Tratamento acústico Silent Coat

Confira o vídeo abaixo: 

 

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA