Sedã muda e pode até lembrar rivais como Civic e Elantra; versão mais cara tem tela de 8 polegadas e navegação 3D

Texto: Bruno Bocchini Fotos: Ford/Divulgação

Você pode até confundir o visual do novo Cruze com o rival Hyundai Elantra. Mas basta conhecer o interior do sedã para entender o avanço que a Chevrolet emplacou diante do mercado (cada vez mais competitivo e sedento por tecnologia). A atualização das linhas da carroceria fez bem ao modelo: leve caída de teto na traseira, vincos mais agressivos (que lembram também a nova geração do Honda Civic), além dos frisos e outros detalhes cromados. Todas as ações renovaram o sedã, mas é a lista de equipamentos que “faz a cabeça” do consumidor na hora da compra.

A faixa de preço entre R$ 89.990 e R$ 107.450 para as três versões do carro não deve ficara para trás da geração do Civic. De série, desde a LT de entrada, o sedã traz faróis com luz diurna, faróis de neblina, piloto automático, direção elétrica, volante multifuncional, ar-condicionado digital, sistema de monitoramento de pressão dos pneus, central multimídia MyLink com tela de 7 polegadas, sistema OnStar (que incorpora o aviso para o possível afastamento do carro em valets), modo ECO, start/stop, assistente de partida em aclives, câmera de ré, sensores de estacionamento traseiros, bancos em couro, ISOFIX, airbags frontais e laterais, freios ABS com frenagem de emergência, controle de estabilidade e tração e rodas de 17 polegadas.

A LTZ (R$ 96.990) acrescenta airbags de cortina, faróis automáticos, sensor de chuva, sensores de estacionamento dianteiros, luzes diurnas em led, regulagem de altura dos faróis, rodas escurecidas, computador de bordo com tela colorida, MyLink 2 com tela de 8 polegadas e navegador 3D, retrovisores elétricos com aquecimento, além da chave presencial, que permite a partida do motor por botão. O pacote extra da versão LTZ (chamado de Plus ou LTZ 2) custa R$ 107.450 e inclui ainda alertas de colisão frontal (com indicação da distância do veículo à frente) e ponto cego, banco do motorista com regulagens elétricas, assistente de permanência em faixa, assistente de estacionamento automático, carregador sem fio para smartphones e farol alto adaptativo.

Novo_Cruze_CAR-(2)

Mecânica com bloco de alumínio

O motor 1.4 turbo de injeção direta será o mesmo oferecido em todas as versões. Com bloco de alumínio, ele não só ajudou o Cruze a ficar 113 kg mais leve como fez o desempenho evoluir significativamente: são 155 cv a 5.600 rpm e torque máximo de 24,5 kgfm disponíveis a apenas 2.000 rpm – o atual é menos potente (144/140 cv a 6.300 rpm) e dispõe de muito menos torque (18,9/17,8 kgfm a 3.800 rpm). A transmissão é sempre automática de seis velocidades.

Related Post

DEIXE UMA RESPOSTA