Instaladores escapam do óbvio com a escolha de componentes sonoros pouco prováveis para este Lancer GT, atingindo resultados além do esperado

Existem escolhas que, à primeira vista, podem parecer inusitadas. A maioria dos projetistas de som automotivo poderia nem ter se dado ao trabalho, por exemplo, de trocar uma central tão completa quanto a original do Mistubishi Lancer 2012, que já conta, de fábrica, com funções no volante e com um bom rol de utilidades.

Mas este não é o caso de Fabio Gorodetzki e de sua equipe da Pirasom, em Pirassununga, interior de São Paulo. Ele optou pela instalação de uma unidade central Pioneer 8450, em lugar do aparelho original.

“Muitos vão falar que é loucura”, diz Fabio. “Mas, com o Pioneer, ganhamos a função dual zone, para permitir uso de dois filmes simultâneos nas diferentes telas DAT de 7”, nos encostos de cabeça”, explica.

Esta foi apenas uma das decisões importantes tomadas para atender a um cliente nada fácil de agradar.

Lucas Herrera, o dono do possante, hoje atua como empresário no ramo de terraplanagem na região, mas, antigamente, já fora dono de loja de som para carros, tendo sido, inclusive, um concorrente direto de Fabio. Este é mais um dos projetos feitos em parceria com a Pirasom, mas é, também, o mais completo.

Tudo começa pela central mencionada. Em seguida, foram instalados kits 2 vias JL Audio C3-650 nas portas dianteiras, bem como coaxiais TR650-CXi nas portas traseiras.

O veículo todo recebeu tratamento acústico com manta asfáltica, para a redução de ruídos. Os suportes para os tweeters foram confeccionados em fibra, com direito a decoração exclusiva com logo da loja.

Nos encostos de cabeça, um outro bom motivo para a “maluca” troca de unidade central. Desta maneira, Lucas pode usufruir de outras mídias enquanto sua filha Aliny, de apenas três anos, assiste aos desenhos da Barbie, sua personagem favorita.

Lucas confessa que agradar à filha foi um dos principais motivos do trabalho. O carro é usado pelo dono apenas aos finais de semana, por pura recreação. Para trabalhar, Lucas prefere usar um veículo mais discreto.

No porta-malas, ainda mais escolhas originais. Para garantir um visual limpo e funcional no compartimento, o estepe foi retirado e realocado sob o chassi do Lancer.

Foram instalados subwoofer JL Audio W3 de 10”, em caixa dutada de 33 litros, amplificador DAT 800.4 e megacapacitor DAT de 2 Farad. Há ainda uma outra ventosa além daquela na caixa do sub.

Ela fica na parte inferior do banco traseiro, feita para ajudar a levar os graves para a cabine. O resultado é um som verdadeiramente hi-fi, preparado para agradar ao mais eclético dos ouvintes, capaz de reproduzir com clareza qualquer gênero musical.

Ainda no porta-malas, um último segredo. No chão, à direita, há um corte para o departamento secreto que contém as ferramentas básicas do carro. O carpete utilizado no acabamento é idêntico ao do original do carro.

 

De cara nova

Os visuais deste Mitsubishi imitam traços típicos da famosa versão EVO. Para isto, foram mudados para-choque dianteiro e aerofólio.

As rodas foram substituídas sem a necessidade de ajustes à suspensão. Os modelos atuais são Zetta, ZT261 aro 20”, envoltos em pneus Maxxis Vitra Z4S 225/35. O teto foi envelopado na cor black piano, da marca Oracal, e os faróis de milha foram trocados por modelos com tecnologia direcional.

Para completar a brincadeira, a suspensão recebeu molas Eibach, reduzindo levemente a altura do veículo. Definitivamente, este Lancer ganhou a capacidade de encantar tanto aos adultos quanto às crianças!

Quem fez:

Pirasom. Tel. (19) 3562-8200

*Texto publicado na edição 168

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA