Texto: Bruno Bocchini
Fotos: Fabio Aro/Divulgação

É fácil notar que a nova geração do BMW X1 deixou de lado o “status de Crossover” para ganhar fôlego em plataforma de SUV. O modelo está mais encorpado e, ao mesmo tempo, elegante, em relação ao anterior. Além de adotar 53 e 23 milímetros nas medidas de altura e largura, respectivamente, a posição de dirigir, por exemplo, cresceu 40 mm, garantindo maior visibilidade ao motorista. O espaço para quem viaja atrás também foi ampliado e, agora, o vão entre as pernas e o encosto dos bancos dianteiros conta com 74 mm a mais de distância. O porta-malas seguiu esta mesma tendência e passa a dispor de 505 litros de capacidade, podendo alcançar 1.505 litros com os bancos traseiros rebatidos.

Mas não é apenas em tamanho e novas linhas que o SUV premium ressurgiu. A tecnologia embarcada também merece atenção. O pacote de itens de série tem um sistema de navegação com tela de 6,5 polegadas, e agora vem com o sistema BMW ConnectedDrive, que incorpora serviços de concierge, informações de trânsito em tempo real, chamada de emergência inteligente e BMW TeleServices.

O modelo inclui também sensores de estacionamento traseiro e de chuva, com acionamento automático dos faróis baixos, e rodas de liga leve aro 18. A versão sDrive20i X-Line ganha teto solar panorâmico, bancos elétricos, espelhos rebatíveis e fechamento do porta-malas eletrônico. O xDrive25i Sport, por sua vez, também conta com rodas aro 19 e Som HiFi.

Car Stereo acompanhou no último mês o lançamento da nova geração do SUV na cidade de Barueri (SP) e, além dos testes em pista e trechos urbanos e off road, pôde conferir de perto a tecnologia que o automóvel disponibiliza.

Sob o capô, as versões atuais a gasolina são a sDrive20i GP xDrive20i e a xDrive25i. A 20i, que difere apenas pelo sistema de tração (dianteira na primeira) oferece 192 cv entre 5.000 rpm e 6.000 rpm e torque de 28,6 kgfm entre 1.250 rpm e 4.600 rpm. A 25i tem 231 cv na mesma faixa de giro, com torque de 35,7 kgfm de 1.250 rpm a 4.500 rpm.

Com isso, os modelos sDrive passam a ter tração dianteira e os xDrive a tradicional tração nas quatro rodas, mas com aperfeiçoamentos. Ligado ao diferencial dianteiro por acoplamento angular e ao traseiro por acoplamento com discos do tipo “hang on”, de acionamento eletro-hidráulico, o xDrive é ligado ao sistema DSC (controle dinâmico de estabilidade). Vale lembrar que os modelos de entrada dos rivais Mercedes e Audi sempre usaram tração dianteira com variações de tração integral.

Em condições normais, toda a força vai para o eixo dianteiro, mas, caso seja necessário, 100% dela pode ser concentrada no eixo traseiro, com a ajuda de uma bomba eletro-hidráulica. Tudo por meio do monitoramento do DSC, que monitora velocidade, aceleração longitudinal e transversal do veículo, ângulo de giro do volante, velocidade de rotação das rodas, inclinação lateral e posição do pedal do acelerador.

Quase um game

Comandar a central multimídia do X1 é tarefa que qualquer criança ou jovem “tira de letra”. Junto ao console central do carro é possível conferir os botões que destinam acesso aos serviços da tela. O seletor tem toque macio e preciso (além disso, o fato de o usuário não precisar tocar na tela oferece, nesse caso, mais comodidade e conforto, até mesmo pela ergonomia proporcionada no X1).

Além do design moderno, o conjunto que equipa o SUV conta com “mimos” para condutor e passageiros. Com transmissão via Bluetooth, é possível ver mensagens de texto, listas de telefone, contatos, calendário e informações relativas à música que está tocando. A função de leitura reproduz conteúdos pelo sistema de áudio. As funções acima, dependendo do equipamento instalado, podem ser operadas por meio do iDrive, das teclas para favoritos, (volante multifuncional ou por comando de voz).

O conjunto sonoro da versão xDrive25i Sport é um enredo à parte. O sistema de som de alta fidelidade, com amplificador Harman Kardon de 360W e 12 alto-falantes, conta com Digital Audio Broacasting e leitor de CD. Basta atuar nos níveis de graves, médios e agudos e balancear o som na cabine para ter sonoridade limpa em volume máximo (sem que “machuque” os ouvidos de quem está dentro do carro e, claro, de quem passa pela rua – uma vez que com os vidros e portas fechadas o isolamento acústico do X1 também é uma glória à engenharia BMW).

O novo X1 é comercializado com preços sugeridos de R$ 166.950, R$ 179.950 e R$ 199.950, para as versões sDrive20i GP, sDrive20i X-Line e xDrive25i Sport, respectivamente. A partir de março, o X1 será fabricado no Brasil e vai contar com mesmo desempenho, mas será flex. A transmissão continuará sendo automática de oito velocidades com opção de trocas por aletas.

Related Post

DEIXE UMA RESPOSTA