Textos: Bruno Bocchini    
Fotos: Divulgação

‘O Poderoso Salão’

Não é para menos. Há 86 anos, durante duas semanas, a indústria automotiva movimenta a Suíça e a cidade de Genebra transforma-se na capital mundial do automóvel. Carros exclusivos, futuros lançamentos, fabricantes e consumidores sempre estão de olhos abertos para o Salão e a movimentação econômica e de negócios. Nesta edição de 2016, que ocorreu de 3 a 13 de março, alguns destaques como Civic hatch e Toyota C-HR “reviram” a cabeça de entusiastas brasileiros. Mas será que eles vão chegar por aqui?

Substituto do Taigun

O T-Cross Breeze, um conceito que antecipa as linhas e o porte do futuro utilitário esportivo da Volkswagen apareceu na Suíça em uma versão conversível – mas o modelo de produção não terá essa carroceria. Ele deve chegar ao mercado em meados de 2018 com a tradicional carroceira quatro portas e teto fixo. Mas o design e o tamanho devem ficar bem próximos aos exibidos pelo conceito, que mede 4,13 metros de comprimento, 1,79 metros de largura e 1,53 metros de altura. O entre-eixos tem 2,56 metros.

O modelo foi criado para substituir o Taigun, o jipinho baseado na plataforma do up! que, no fim, foi considerado muito pequeno pela Volks. O novo T-Cross é maior. Feito sobre uma variação da plataforma MQB compartilhada com o Polo europeu, ele ficará posicionado abaixo do Tiguan e também do T-Roc, futuro SUV do Golf, já exibido pelo montadora inclusive no Salão de São Paulo de 2014 e com planos de ser feito no Brasil.

E no Brasil? O novo utilitário compacto fará concorrência direta para Renault Captur e Nissan Juke. Por enquanto, a Volkswagen não detalhou os planos de produção do modelo nem os mercado em que ele será produzido, mas a julgar pelo interesse dos brasileiros pelos SUVs compactos, ele seria uma opção interessante em um segmento que hoje tem como principal referêcia os novos Jeep Renegade e Honda HR-V.

Civic hatch

A Honda levou o conceito da versão hatchback do Civic (chamada de Prototype, ou protótipo, em inglês). Embora seja tratado como um estudo, o modelo está bem próximo da versão final de produção.

O visual provocante já deixa clara a intenção da montadora em conquistar o público jovem. Apesar da frente do carro trazer o mesmo design afilado e pontiagudo do sedã, com o logo da marca inserido sobre uma barra cromada entre os faróis de LED, o parachoque foi todo redesenhado e recebeu grandes entradas de ar que atribuiram esportividade ao carro.

Há ainda “jogos” de luz e sombra nas portas, mas com destaque para as belas rodas de liga leve, com 18”. Atrás, a Honda investiu ainda mais no potencial do Civic para conquistar os aficionados por preparação. Na falta de um, são dois pequenos aerofólios: um acoplado no teto, logo acima do vidro traseiro, e outro no final do vidro, interligando as duas lanternas de LED em formato de “boomerang” (outra herança direta da versão de três volumes). Mais abaixo, duas saídas de ar e a ponteira dupla de escapamento dão o toque final.

A gama de motores do Civic hatch terá três opções: 1.0 e 1.5 turbo a gasolina e um 1.6 diesel. O modelo será produzido na Europa e de lá será exportado para o resto do mundo, incluindo os Estados Unidos, que não tinha uma versão hatch do Civic desde a sétima geração do modelo. No Brasil, não há confirmação de que ele desembarcará (a marca deverá investir apenas nas versões sedã e Si dele). O último Civic hatch vendido no Brasil foi o da sexta geração, no começo dos anos 2000.

Anti-Renegeade, anti-HR-V, anti-Eco…

O futuro concorrente do Honda HR-V manteve linhas bem futuristas e parecidas com o conceito apresentado no Salão de Frankfurt. Apesar de também concorrer no segmento dos SUVs e compactos, o C-HR mais parece um cupê musculoso.

O modelo será produzido na Turquia e terá opções de motor 1.2 turbo de 116 cavalos de potência, além do 1.8 híbrido, que chega a 122 cavalos de potência. Serão duas opções de transmissão: manual de 6 marchas ou automatizada do tipo CVT. De acordo com a fabricante, alguns mercados terão motor 2.0 combinado com o câmbio CVT. Depois da Turquia, a marca diz que o carro também será produzido, possivelmente, nos Estados Unidos e outras regiões ainda não forma definidas.

Impressiona o aspecto futurista. O tamanho é praticamente o mesmo do HR-V, e a traseira implementa um novo estilo japonês, com traços que lembram demais o próprio Prius e o novo Honda Civic. A frente, em um primeiro momento, se assemelha à de utilitários da Hyundai, mas também evoca um “Mini-RAV4”.

Ferrari sendo…Ferrari

O sucessor da FF reúne tudo que há de melhor em matéria de performance. O novo modelo da Ferrari traz um motor V12 aspirado com 690 cv e 71,1 kgfm de torque. A marca declara que o carro acelera de 0 a 100 km/h em 3,4 segundos, chegando à velocidade de 335km/h.

A GTC4 Lusso, como foi batizada, traz uma série de simbolismos no nome. A sigla GTC faz referência às clássicas 330 GT e 330 GTC, enquanto o complemento Lusso (luxo, em italiano), vem da 250 GTO Lusso, todos esportivos dos anos 1960. Por fim, o número 4 é alusivo aos quatro lugares.

O modelo conta com tração integral 4RM-S que faz com que as rodas traseiras também girem para facilitar o desempenho do esportivo nas curvas. No interior, destaque para a tela de 10,25 polegadas touchscreen. Do lado do passageiro, uma tela acima do porta-luvas exibe informações como velocidade, marcha escolhida e conta-giros. O volante ficou menor, e ganhou novo formato. Ele também concentra diversos comandos diferentes, como modos de condução, ajustes da suspensão, partida do veículo, acionamento de luzes direcionais, faróis e limpadores de para-brisa.

Na comparação com a FF, a GTC4Lusso traz algumas evoluções em design. O perfil de cupê com a queda acentuada do teto, no estilo shooting-brake, foi mantido. Porém, a dianteira ganhou faróis com a identidade visual mais recente da marca. Além disso, a grade frontal agora possui entradas de ar integradas. Na traseira, a coluna C ficou ligeiramente menor, o que, de acordo com a marca, melhora o espaço para os ocupantes.

Híbrido de respeito

A Lexus apresentou uma versão híbrida do LC, o chamado LC500h. O híbrido está equipado com o sistema Multi Stage Hybrid, cujos detalhes são desconhecidos, mas combina um motor 3.5 litros V6 a gasolina, acoplado a uma caixa de quatro velocidades, e um motor elétrico, com uma transmissão CVT, que somam uma potência de 359 cv. Isto vai permitir ao LC500h atingir os 100km/h em menos de cinco segundos. Esta é a segunda versão apresentada do LC. A primeira foi o LC500, em Detroit.

Esse vem para o Brasil

A Maserati aposta em um belo SUV, o Levante. O modelo conta com suspensão eletrônica com vários níveis de ajuste, tração nas quatro rodas e opção a diesel. O Levante será oferecido com três opções de motor, todos eles V6 de 3 litros com turbocompressor, mas com calibrações diferentes. A versão de entrada terá 350 cv e atingirá 100 km/h em 6s. O Levante S, mais esportivo, traz os números mais impressionantes: 435 cv e aceleração de 0 a 100 km/h em 5s2. Haverá também um motor a diesel, de 278 cv. Com ele, o Levante atingirá os 100 km/h em 6s9.

Independentemente da motorização, todos os Levante terão câmbio automático de oito velocidades e tração nas quatro rodas. O Maserati Levante será concorrente direto do Porsche Cayenne.

No Brasil, deve chegar no segundo semestre, segundo informações da Via Itália, importadora oficial da grife.

Pequenas mudanças

O up! reestilizado também foi exibido em Genebra. Algumas novidades como o ar digital, volante multifuncional, central multimídia conectada a smartphone e faróis de LED foram os destaques. A Volkswagen anunciou que o compacto terá nova opção de motor 1.0 de 3 cilindros, o TSI (turbo) usado no Golf Bluemotion, de 90 cv. Não se sabe preço ou previsão de chegada. No Brasil, estas mudanças ainda não têm data prevista para chegar.

Perua francesa

A Renault apresentou o mais novo membro da “família” Megane, o Estate. O modelo ostenta frisos laterais cromados e barras de teto em alumínio fosco. O destaque é a versão topo GT, que possui para-choque dianteiro modificado, grade em forma de colmeia e entradas de ar inferiores mais destacadas. São esperados os mesmos motores disponíveis no hatchback: o TCE turbo a gasolina em versões de 100 cv, 130 cv e 205 cv e o DCI turbodiesel de 90 cv, 110 cv e 130 cv.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here