SALÃO DE DETROIT 2016: RELEMBRE AS ‘NAVES’

Marcas reúnem novidades após período conturbado na indústria americana; veja alguns destaques e quais carrões desembarcam no Brasil

1532

Textos: Bruno Bocchini e Paulo Fabris

O Salão de Detroit, realizado de 16 a 24 de janeiro nos Estados Unidos, mostrou que a cidade – reconhecida pela movimentação da indústria automotiva -, está reestabelecida após a crise que assolou o segmento local no fim dos anos 2000. Foram mais de 750 modelos exibidos, sendo 57 lançamentos e 39 mil representantes da indústria. Veja quais foram os destaques do Salão e conheça os modelos que irão desembarcar no Brasil nos próximos semestres.

Audi R8

A nova geração do superesportivo deverá aparecer neste ano durante a edição do Salão de São Paulo. O motor 5.2 V10 emprestado da Lamborghini foi a 570 cv acoplado ao câmbio S-Tronic de dupla embreagem e sete velocidades.

Por dentro, o modelo ganhou painel com tela TFT totalmente programável do TT e diversos comandos no volante, além do acabamento em alcântara. O interior traz ainda uma tela de 12,3 polegadas que permite controlar todo o sistema de entretenimento e configurar algumas das funções mais esportivas do carro

Com design reformulado para reforçar os aspectos competitivos da marca, o esportivo tem linhas mais retas e ganhou quatro centímetros de largura. No total, o R8 tem 4,42 m de comprimento, 2,65 m de distância entre os eixos e 1,94 m de largura. Mesmo com a adição nas proporções, o R8 pesa 1.454 quilos – são 50 kg a menos, graças à nova geração da estrutura da Audi, batizada de Spaceframe, que utiliza alumínio e fibra de carbono.

Viper: Renovando uma lenda

A Dodge apresentou a nova versão do Viper. A quarta geração do carro ganhou novo interior e outro conjunto de pneus. Na parte externa, o carro exibe um “jeitão de malvado”, com algumas aberturas e entradas marcadas nas laterais, um aerofólio e rodas de cinco raios duplos. Por dentro, o novo Viper recebeu interface touch screen, assentos de couro e um design renovado. Infelizmente para os fãs ainda não há previsão de lançamento da quarta geração do modelo no Brasil.

Porsche 911: De cair o queixo

A Porsche apresentou dois modelos para fazer qualquer fã da marca babar. O 911 Turbo e o Turbo S serão lançados no mercado europeu com 540 e 580 cavalos de potência, respectivamente. Ambos com 20 cv a mais do que seus antecessores.

Por fora, eles ganharam novos LED’s diurnos, maçanetas, entradas de ar frontais, lanternas traseiras e rodas. Já por dentro, o volante vem com um seletor giratório para escolher diferentes modos de condução e um sistema de multimídia aperfeiçoado.

Como todo bom Porsche, a velocidade impressiona: a versão Turbo vai de 0 a 100 km/h em apenas três segundos e a Turbo S em 2,9 s. O modelo chegará ao Brasil no primeiro trimestre deste ano.

Mercedes Classe E: “Meca” divina

O novo Classe E foi revelado pela Mercedes aparentando basicamente a frente alongada do Classe C, mas por dentro há mais do Classe S do que se pode imaginar. Os destaques ficam por conta do painel totalmente digital já integrado com a central multimídia (que mais parecem dois tablets de 12”) e acabamentos em couro, madeira e alumínio.

O modelo ainda ganhará uma versão híbrida plug-in que combinará um motor 2.0 a gasolina a um propulsor elétrico, que garantirá a potência total de 279 cavalos. Para o Brasil deverão vir os tradicionais E200 (com mecânica 2.0 de 240 cv) e o E400 (com o bloco V6 de 337 cv). As vendas por aqui começarão no segundo semestre.

Kia Cerato: 2.0 ou 1.6?

O sedã médio da Kia ganhou reestilização com nova frente e iluminação de LED’s na traseira. O interior também foi levemente remodelado, com a central multimídia de 7” que aceita os sistemas Apple Car Play e Android Auto. Nos Estados Unidos ele também recebeu novo motor 2.0 (o mesmo do Elantra), mas ainda não se sabe se ele virá para o Brasil como 1.6 flex. O mês de estreia do modelo no mercado nacional é junho e o carro será fabricado no México.

Ford Fusion: Esportivamente inédito

A Ford destacou o sedã Fusion. O carro teve seu visual atualizado e uma inédita versão com tração integral.

As mudanças ficaram por conta do facelift que trouxe novos para-choques, grade dianteira e faróis de LED. Na traseira, as novidades são as lanternas cortadas por um friso cromado. O sedã ganhou ainda um novo motor V6 de 2.7 litros com EcoBoost, que desenvolve até 329 cavalos de potência.

Além disso, o Fusion tem um motor elétrico com autonomia de até 35 km. O modelo chega no 2º semestre desse ano.

Chevrolet Cruze: Hatch ou sedã, você escolhe!

O novo Cruze hatch da Chevrolet ganhou visual mais esportivo do que o antecessor, aerofólio integrado e lanternas horizontais. Entre os destaques, o carro manteve o espaço interno e o porta-malas de 524 litros.

Debaixo do capô, o Cruze leva um motor Ecotec turbo de 1.4 litro, com transmissão automática de 7 marchas e dupla embreagem, que garantem ao hatch 155 cavalos de potência.

O Cruze hatch chega ao Brasil nos primeiros meses de 2017, enquanto a versão sedã – apresentada anteriormente pela Chevrolet – chegará ao nosso país ainda este ano.

Lexus LC 500: Wild horses

Baseado no Lexus LF-LC, o Lexus LC 500 ganhou um espaço no Salão de Detroit com um poderoso motor V8 e 467 cavalos de potência. O carro conta com transmissão de dez marchas e gerenciamento dinâmico de aceleração, o que permite realizar 0 a 100 km/h em apenas 4,5 segundos.

Com duas portas, faróis triangulares de LED, grade em X e spoilers suaves, o visual agressivo deste cupê é reforçado pelas rodas de 20 ou 21 polegadas que acompanham o carro. Completam o visual do esportivo um cluster personalizado, alavanca da transmissão do tipo joystick, acabamento em couro costurado e tela do sistema multimídia localizada em uma parede preta similar a dos esportivos da década de 90. Ainda não há informações sobre o lançamento deste modelo.

Jeep Renegade: Um jovem velho

O Grupo FCA irá trazer ao Brasil em meados deste ano a edição comemorativa do Renegade 75 anos. As novidades ficarão por conta das cores exclusivas e dos logotipos alusivos à série. A edição especial deverá estar presente tanto na versão 1.8 flex quanto na 2.0 diesel.

As rodas terão acabamento bronze acetinado e haverá outros detalhes externos em bronze e laranja, além de emblemas “1941 – Seventy Five Years” nas laterais. Por dentro, o Renegade terá revestimento dos bancos com tecido especial ou em couro com o emblema da série em relevo.

Honda Civic: Dez mandamentos

A décima geração do sedã aposta na esportividade e ganhou design de carro alemão. A Honda já havia confirmado que o novo Civic chega ao Brasil no 2º semestre. Com uma plataforma completamente nova, o modelo ficou maior. São 5 cm a mais na largura e 3 cm no entre-eixos. Na altura, ele está 2,5 cm mais baixo. E no porta-malas, o volume aumentou quase 74 litros. Com as medidas, o espaço interno também aumentou, e a posição de dirigir ficou mais baixa.

Diante da tecnologia, o modelo também passará a receber os sistemas Apple Car Play e Android Auto na central multimídia. Mais do que uma versão recheada de equipamentos, com controle de cruzeiro adaptativo (ACC, que reduz a velocidade do carro se o veículo da frente também reduzir), alerta de mudança de faixa e faróis em full LED, o Civic também ficou ainda mais refinado na mecânica.

Pela primeira vez na história, ele será oferecido com opção de motor turbo. É um novo 1.5 de 176 cavalos, aliado a um câmbio CVT de relações infinitas. Vale lembrar que, nos Estados Unidos, ele também terá versões mais baratas com o motor 2.0 aspirado.

Chrysler Pacifica: Paz, motor elétrico e amor

O Chrysler Pacifica é a novidade que a montadora americana levou ao Salão de Detroit e será um competidor à altura do Kia Carnival. Com seu desenho inspirado no sedã 2000, o carro chega com duas opções de motor – a gasolina de 3.6 V6 com câmbio automático de nove marchas e 287 cavalos de potência e o híbrido, a gasolina e elétrico, com motor V6 de 248 cv. A parte elétrica do carro usa baterias de 16 kWh recarregáveis.

A Pacifica inova no sistema de abertura automática das portas laterais (basta passar o pé sob o carro). No sistema de entretenimento, mais inovação: telas traseiras integradas e rebatíveis com entradas USB e HDMI, além de um aspirador de pó. Sim, você não leu errado.

É estimado que o Pacifica comece a ser vendido no Brasil apenas em 2017, mas não há confirmação oficial.

BMW M2: Família M brasileira

O M2 Coupé traz o tradicional motor de seis cilindros em linha da BMW, só que reprogramado para despejar 370 cavalos nas rodas traseiras. O torque é de 47,4 kgfm, podendo chegar aos 51 kgfm com a função overboost acionada.

O esportivo conta com transmissão automatizada de dupla embreagem de sete marchas. De acordo com a montadora, o M2 acelera de 0 a 100 km/h em 4,3 segundos, com máxima limitada em 250 km/h.

A Motorsport não colocou apenas um motor mais potente sob o capô do cupê. A preparadora também fez modificações em outros componentes. Os eixos, por exemplo, são construídos em alumínio, bem como a suspensão traseira, do tipo five-link, de alumínio forjado.

Outros assistentes eletrônicos são o controle de largada e a possibilidade de alterar os modos de condução, com os mapas Comfort, Sport e Sport+. Há ainda um controle de estabilidade dinâmico que permite que as rodas patinem de forma moderada. O M2 será o modelo mais barato da família M e deve desembarcar no Brasil até o final do ano.

 

Related Post

DEIXE UMA RESPOSTA