Catarinense se vê obrigado a trocar seu Santana por um Gol bola. E não é que a troca por um carro menor saiu melhor do que a encomenda?

 

Kelvin Huettel, 24 anos, vivia feliz no trabalho em um depósito de papelaria na cidade catarinense de São Bento do Sul. Ele curtia seu VW Santana com suspensão rebaixada fixa, rodas BBS 17” x 8,5” e motor 2.0 aspirado.

Até que o orçamento apertou e ele se viu obrigado a trocar o Santana por um… Gol bola. “Nunca fui fã de Gol bola, mas a prestação do Santana começou a pesar e vi no Golzinho a oportunidade de sair da crise”, conta.

“E eu, que sempre gostei de Jetta, me vi dono de um Gol”, brinca o catarinense.

A desilusão começou a ir embora quando Kelvin conheceu o pessoal do “Less is more”, página da internet sobre customização automotiva.

“Nesse grupo fui tendo ideias para deixar meu Gol mais clean, com um visual mais limpo”, explica. “Acabei fazendo no Gol tudo aquilo que gostaria de ter feito no Santana”, conta.

Rodas para fora

A primeira intervenção no Gol 1.0 Mi 16V 1998 foi substituir as rodas originais por redondas de ferro, que Kelvin mandou alargar e polir. Elas medem agora 15” x 9” e são calçadas por pneus 165/50.

O alargamento, feito somente pelo lado de fora da roda, não atrapalhou em nada o encaixe da roda na caixa e a dirigibilidade do carro.

O segundo passo, e talvez o mais importante para a customização do Gol, foi a instalação de um kit de suspensão a ar da Castor, que recebeu retrabalho da Anizio Suspensões e ganhou o visual hard line, com os dutos em cobre.

Tanto o cilindro como os dutos e o manômetro ficam aparentes no porta-malas do veículo.

No interior do Gol, Kelvin providenciou uma nova tapeçaria para os bancos e para as laterais de portas, em couro ecológico marrom.

“Foi um desafio encontrar uma cor que harmonizasse com o verde escuro da pintura do carro. Inicialmente pensei em caramelo, mas achei que o marrom era mais “diferente”, conta.

Pelúcia e capitonê

Os bancos originais receberam preenchimento com espuma e foram revestidos de curvin marrom com costuras no estilo capitonê.

As portas também foram revestidas no mesmo padrão. O painel foi totalmente pintado na mesma tonalidade. Tanto o assoalho quanto o porta-malas foram revestidos de pelúcia marrom. O volante é um modelo antigo de Porsche, de madeira, que Kelvin restaurou.

O sistema de som é simples, composto apenas por um player Pioneer com Mixtrax – recurso de mixagem de músicas – e um par de alto-falantes Sony nas portas, nos espaços originais.

Kelvin conta que, antes da customização, costumava usar bastante o carro, para ir ao trabalho.  “Agora reservo mais para encontros e passeios especiais”, conta.

Cuidadoso, tratou de providenciar a legalização do sistema de suspensão a ar e do conjunto óptico, já que os faróis foram escurecidos com película.

Outras modificações incluíram o alisamento do para-choque dianteiro, com a retirada da placa, e a adição de uma saia frontal no para-choque. A traseira perdeu a luz de neblina.

Os planos de Kelvin para uma nova fase da customização incluem mudar a pintura, fazer alguma preparação no motor e trocar as redondas por outras de 16”.

Mas agora cabe a pergunta: Mas não era você que não era fã de Gol bola? “Sou apaixonado pelo Gol”, confessa.

Quem fez:

Anizio Hard Line

Ficha técnica

Gol 1.0 Mi 16V 1998

Suspensão a ar Castor com trabalho de hard line

Rodas de ferro alargadas15”x 9” com pneus 165/50

Bancos e laterais de portas em curvin marrom

Alisamento externo

Película nos faróis

*Matéria publicada na edição #204 da revista Car Stereo.

DEIXE UMA RESPOSTA