Fiat 147 Europa 1984 – Parlami d’amore!

Em busca de um carro antigo e raro para customizar e turbinar, lojista da Grande São Paulo encontra um “italianinho” para chamar de seu

Texto: Ademir Pernias

Fotos: Ricardo Kruppa

Se você, leitor, é um jovem aficionado por customização automotiva, provavelmente verá como novidade o carro objeto desta reportagem, embora o modelo não tenha nada de novo. O Fiat 147 foi o primeiro veículo brasileiro da marca italiana, que começou a ser produzido por aqui, na fábrica de Betim, em Minas Gerais, em 1976. Apresentada ao público no Salão do Automóvel daquele ano, a novidade, com 3,63 metros de comprimento, tinha cerca de 40 centímetros menos que o VW Fusca – seu concorrente direto –, e pesava 800 quilos menos. Com linhas retas, carroceria de dois volumes e três portas, o modelo era classificado pela Fiat como uma “semiperua”.

Quatro anos depois do seu lançamento, o modelo ganhou sua primeira reestilização, com frente mais alta e quadrada, chamada de “Europa”. O Fiat 147 saiu de linha em 1986, com a marca de mais de 1 milhão de unidades vendidas, em todas as suas versões, e abriu espaço para seu sucessor, o Fiat Uno. Mas essa já e outra história, e a nossa vai focar em um exemplar dessa última fase no modelo, um Fiat 147 Europa fabricado em 1984.

Antigo, raro e turbinado

O modelo em questão pertence a Edvaldo da Silva, de 36 anos, proprietário da Edy Sound, loja especializada em som e acessórios de Francisco Morato, cidade da Grande São Paulo. “Tenho a loja há 13 anos e sempre sonhei ter um carro antigo, que fosse relativamente raro e com motor turbinado”, resume Edvaldo sobre sua história com esse 147. Ele conta que comprou esse exemplar há seis anos, praticamente abandonado em uma garagem a céu aberto. “O carro estava sem tapeçaria, com uma porta de cada cor e bastante maltratado”, lembra.

Para a empreitada de revitalização e customização do modelo Europa, Edvaldo contou com a colaboração e a expertise de amigos e profissionais do segmento. A primeira ação para devolver o carrinho à atividade foi um trabalho primoroso de funilaria e pintura, feito por Luciano dos Santos, da lvcar Funilaria & Pintura. Depois veio o upgrade mecânico, feito pelo mecânico conhecido como Bochecha, da Mecânica Paroc, que fez as modificações necessárias para transformar a mecânica original 1.300 refrigerada a água em um motor sobrealimentado por um kit turbo K16, da Turbo Anhanguera. Depois veio a reforma na tapeçaria e, por último, a especialidade de Edvaldo, o sistema de som.

A pintura foi restaurada na mesma tonalidade bege original. A suspensão foi modificada na fixa, e deixou o veículo cerca de 4 cm mais próximo do chão. As rodas são modelo GT7, importadas, de 17” x 7”, calçadas com pneus 185/35. Ainda na parte externa, os frisos e emblemas foram restaurados. O conjunto óptico recebeu lâmpadas de ultra LED nos faróis baixo e alto e xénon nos faróis de milha.

Tom caramelo

Na parte interna, a restauração incluiu a substituição dos bancos dianteiros originais por assentos do Gol, que tiveram sua estrutura modificada e foram revestidos com couro ecológico bege com microfuros para respiração da espuma. Os bancos traseiros foram mantidos e revestidos com o mesmo material. As laterais de portas foram reforçadas com MDF de 8”, com ressaltos para os alto-falantes e revestidos com curvin Del Rey caramelo. O painel foi mantido original, e recebeu um suporte para a acomodação dos manômetros ODG do turbo, no local originalmente destinado ao rádio, e iluminação com LED’s azuis e brancos. Volante esportivo do Golf importado, manopla de câmbio Shutt, contagiros e carpete e tapetes na coloração caramelo completam a mutação interna.

Trilha gospel

Para coroar o retorno do “italianinho” à ribalta, faltava dotá-lo de um digno sistema de áudio, trabalho que é a especialidade de Edvaldo. A unidade principal é um DVD player Pioneer 8580, de 2 din, instalado em um suporte sob o painel. O estéreo é reproduzido por um par de kits duas vias Audiophonic de 6,5”, da linha Club, acomodados nas portas com os tweeters direcionados para os ouvidos dos ocupantes. Para evitar vibrações da lataria, as laterais foram revestidas com manta asfáltica e os para-choques foram reforçados.

O pequeno porta-malas do carrinho foi totalmente tomado pelos demais equipamentos do sistema de som. Para obter a profusão de graves desejada por Edvaldo, ele planejou um sistema com quatro subwoofers de 12”, também da linha Club da Audiophonic, que trabalham em uma caixa dutada com quatro câmaras separadas. A caixa ocupa praticamente todo o espaço útil do compartimento. Nas laterais foram acomodados os dois amplificadores, da mesma marca, que alimentam os falantes: um aparelho de 4 x 800 W, da linha Club, para os kits, e um mono da linha Blow One, também Audiophonic, para os subwoofers.

O cabeamento é de 21 mm da KX3 e a fiação RCA é da Audiophonic. Duas baterias, sendo uma de 105 Amperes para o som, e uma fonte Boog de 120 Amperes garantem a energia para o sistema trabalhar com segurança.

Para Edvaldo, o resultado foi mais do que satisfatório: um sistema de som equilibrado, com graves presentes mas que não encobrem as frequências de voz. “Ficou perfeito para eu ouvir minhas seleções de músicas gospel” conta.

Um carro antigo, raro, turbinado, e coroado com um sistema de som que alia força e qualidade. O que mais Edvaldo poderia querer? “O próximo passo é colocar um sky window do Stilo”, diz ele. E não é que pode ficar bom?

Quem fez:

Som: Edy Sound. Tel. (11) 99941-3692.

Funilaria e pintura: Ivcar. Tel. (11) 94725-0083.

Mecânica: Bochecha, da Mecânica Paroc.

Ficha técnica

Fiat 147 Europa 1984

SOM

Player Pioneer 8580

Kits duas vias Audiophonic linha Club

Subwoofers Audiophonic linha Club

Amplificador 4 canais Audiophonic linha Club

Amplificador mono Audiophonic linha Blow One

Cabos KX3 e RCA Audiophonic

Fonte Boog

Customização

Rodas GT7 de 17” x 7”

Kit turbo K16

Bancos do Gol

Volante do Golf

Manopla Shutt 

You don't have permission to register