Indústria automobilística mundial deverá enfrentar grandes desafios nos próximos anos, com a mudança de foco, hoje, exclusiva para a venda de produtos prestação de serviços, diz especialista da FGV

 As projeções mundiais para o setor automotivo preveem um crescimento gradual dos serviços a serem prestados pelas empresas, que representarão cerca de 30% da receita total dos fabricantes de veículos até o ano 2025, afirma o coordenador de MBA de Gestão Estratégica de Empresas da Cadeia Automotiva da FGV, Antônio Jorge Martins.

A mudança de foco deve-se prioritariamente ao crescimento vertiginoso da conectividade nos veículos desenvolvidos pelo setor automotivo, cujo ápice será o uso dos autônomos, que se acham em fase de testes em vários países, incluindo o Brasil.

Deve-se destacar que a autonomia veicular estará presente em máquinas agrícolas, automóveis, ônibus e caminhões, contribuindo de forma significativa para o aumento da produtividade de diversos segmentos industriais e de serviços.

As aplicações previstas para se usufruir dessa inovação ultrapassam todos os limites previstos, passando pelo aumento da segurança, elevação do consumo de bens, realização de reuniões e jogos online, redução do estresse, leitura pessoal e profissional, além da prestação de novos serviços a serem oferecidos pelos próprios fabricantes.

O coordenador de MBA de Cadeia Automotiva da FGV lembra ainda que a demanda nacional se apresenta como uma das mais promissoras do mercado automobilístico mundial, devendo contribuir para a evolução tecnológica e o desenvolvimento de novas aplicações de serviços.

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA