OEmpresário catarinense desenvolve projeto de customização para tornar o bom e velho Fusca em um monstro das pistas

O VW Fusca é um dos carros mais amados e customizados do mundo. O design arredondado do carismático modelo faz com que o besouro seja uma das opções favoritas dos proprietários que pensam em deixar o carro “ao seu gosto”.

Eu já vi Buggy de Fusca, limusine (pior que é verdade), picape ou furgão (numa fusão com a Kombi), de arrancada, modelos Rat Rods, Eurolook, enfim, uma infinidade de opções, sem contar os belos e exclusivos originais de placa preta.

Mas o empresário Diogo Locatelli, 42 anos, de Blumenau/SC, mostrou que nem tudo foi explorado quando falamos em customizações em um Fusca. O chamado “BugHot”, me parece, a mais extrema customização possível para o escarabajo, como dizem os mexicanos.

A paixão

O interesse pela customização de carros nasceu cedo com Diogo, na chamada “paixão de pai para filho”. “A paixão pela customização surgiu logo cedo, desde que me conheço por gente, posso dizer e isso deve a frequentar com o meu pai oficinas de preparação da região”, explica Diogo.

Desde então, Diogo passeou por alguns projetos até chegar no BugHot. “Meu primeiro carro foi um Gol 1000 1994 com SWAP de motor para 2.0 AP álcool. O segundo foi um Passat L 1974 que possuo até hoje. Já o terceiro é o projeto BugHot”.

O Projeto

A ideia para o projeto do BugHot surgiu em outra paixão de Diogo, o automobilismo. As corridas da antiga “Divisão 3”do automobilismo nacional o inspiraram a criá-lo um Fusca D3 atual sem restrições no projeto.

Assim, a base do BugHot é um chassi de Fusca após os anos 80, mas o conceito sofreu diversas alterações até chegar ao projeto final. A única certeza é de que ele seria destinado às pistas.

De original não sobrou quase nada, o que sobrou foram alterações. Tudo foi trocado ou projetado novamente: carroceria, suspensão, freios, motor, câmbio e direção.

A começar pelas rodas, foram escolhidas as MSR modelo F3 com cubo rápido. Na dianteira, as rodas estão na medida 13×8.5” e, na traseira, as 13×11”. Os pneus são focados no desempenho: Pirelli PZERO slick de Fórmula 3, com os dianteiros na medida 225/40 e, na traseira, 265/40.

A suspensão sofreu grandes modificações nesse projeto. Para diminuir o centro de gravidade do carro, foi preciso alterar todos os pontos de fixação da suspensão. Também foi alterado o sistema de mola, eliminando as barras de torção e substituindo por molas helicoidais e pushrod.

O motor também é completamente novo. O boxer que agora conta com 1.915 cm³ de volume, virabrequim com curso de 69 mm e pistão Wiseco de 94 mm. As bielas escolhidas foram as Scat colo VW, o comando de válvulas é o Engle FK 10 com tuchos da mesma fabricante. Os balancins são roletados 1.3×1 Pauter, cabeçotes Ultra Wedge Port com válvulas de titânio com  46 mm na admissão e 37,5 mm no escape. O corpo de borboleta é um IDF de 48 mm Jenvey e a lubrificação é por cárter seco. O câmbio de cinco marchas é um poderoso Hewland MK9 5 speed.

Já, quando falamos em carroceria, as modificações implementadas foram o rebaixamento de 20 cm em sua altura: 10 cm no teto, 10 cm em sua base. Completam o visual o capô, portas e para-lamas fabricados em fibra de vidro.

Vai, fala aí, conhece um besouro “mais animal” do que este? Mas tem uma boa notícia: em breve serão vendidos kits de personalização para transformar o seu Fusca em um monstro sobre rodas!

Ficha Técnica BugHot

Quem Fez?

Fabricação própria

Motor

  • Cilindrada: 1915 cm³
  • Curso de virabrequim: 69 mm
  • Diâmetro de pistão: 94 mm
  • Pistão Wiseco
  • Bielas Scat colo VW
  • Comando de válvulas: Engle FK 10
  • Tuchos: Engle
  • Balanceiros roletados: 1.3×1 Pauter
  • Cabeçotes: Ultra Wedge Port
  • Válvulas de titânio: 46 mm (admissão) / 37,5 mm (escape)
  • Throttle Body: IDF 48mm Jenvey
  • Lubrificação: Carter Seco

Câmbio

  • Hewland MK9 5 speed

Carroceria

  • Rebaixada em 20 cm (sendo 10 cm no teto e 10 cm na base)
  • Portas, capô e para-lamas em fibra de vidro

Galeria