Se o seu automóvel não conta com muito espaço para guardar objetos – e se restringe ao simples porta-copos e porta-luvas – a solução é procurar uma alternativa. Melhor do que encontrar uma forma de organizar o carregador do smartphone, pen drive, cabo auxiliar e outros itens é, sem dúvida, se o acessório fosse uma “extensão” do carro.

Costureiras de São Bernardo do Campo tiveram essa ideia e fazem do lixo descartado pela indústria automotiva sua fonte de renda. A partir do reaproveitamento de uniformes de trabalhadores e tapeçaria utilizada na produção de automóveis, empreendedoras da Tecoste Confecções costuram bolsas, mochilas e porta-objetos.

tapecaria-2

As necessaires produzidas pelo grupo são fornecidas, por exemplo, pelas montadoras Volkswagen, Mercedes e Scania, aos visitantes que acompanham os processos produtivos, técnicas e tecnologias das fábricas. A comercialização dos produtos é feita para empresas e para o público em geral, inclusive por meio do site do grupo.

A marca nasceu do projeto Costurando o Futuro, realizado pela Fundação Volkswagen em parceria com a prefeitura de São Bernardo do Campo e a Associação Mundaréu.

*Texto publicado na edição 204 da Car Stereo

DEIXE UMA RESPOSTA