Texto: Giovanne Formis Foto: Divulgação

Alguns barulhos identificados e não corrigidos podem gerar gastos desnecessários futuramente 

Quanto mais antigo o veículo, maiores são as chances de aparecer novos barulhos, e o pior de tudo isso é não saber identificar de onde vêm os ruídos no carro, se do interior ou da parte de fora.

Gerson Burin, coordenador técnico do Cesvi Brasil comenta que a primeira orientação para identificar ruídos no carro é redobrar a atenção antes mesmo de sair de casa, como por exemplo, checar com regularidade partes encaixadas do veículo como a tampa do porta-luvas, a fixação do tampão da porta e do de cobertura do bagageiro, especialmente quando o veículo transita por buracos, lombadas e pisos irregulares.

Em casos em que os ruídos não são identificáveis, o especialista recomenda a avaliação por um profissional mecânico e que o motorista dê uma volta com o veículo junto com o mesmo para identificar novos problemas e evitar complicações futuras de desempenho.

Confira alguns dos barulhos mais comuns identificados pelos motoristas e previna-se de gastos desnecessários:

  • Rangidos podem ser identificados nos revestimentos das portas, painel dianteiro, peças de plástico e suspensão;
  • Apito é geralmente o tradicional ruído das pastilhas de um dos freios dianteiros – ou de ambos, que acontece devido ao uso excessivo;
  • Estalos e grunhidos são geralmente causados pela suspensão do carro e indicam dano, fatos que geram problemas ainda maiores no veículo.

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA