Clube Amigos do 147 reúne em encontros mensais os admiradores e proprietários do primeiro modelo da Fiat fabricado no Brasil  

O clube Amigos do 147 foi criado, não por acaso, no dia 14/7 para admiradores e proprietários do Fiat 147. Seu fundador é o gerente de TI Otavio Borges de Oliveira Filho, de 43 anos, morador de Santo André, na Grande São Paulo.

Para ele, o modelo representa uma transformação na indústria automobilística do Brasil em sua época. Um veículo dos anos 70, compacto, com excelente espaço interno e o mais econômico de sua categoria, fatores que atualmente são bastante explorados nas propagandas de veículos em razão do meio ambiente e do trânsito nos grandes centros.

Estava sem dúvida à frente de sua época!”, depõe. Conheça a história do Amigos do 147 na entrevista de Otavio, que também é presidente do clube e proprietário de um Fiat 147 C marrom, com motor original 1300 a álcool e um Fiat 147 L para, estilizado Racing, com motor e câmbio do Uno 1.5R,  à Revista Car Stereo.

Car Stereo: Como se deu a fundação do clube Amigos do 147?

Otavio Borges de Oliveira Filho: Em 2011 adquiri um Fiat 147 e comecei a procurar na internet por grupos ou clubes de proprietários que realizassem encontros periódicos, porém as poucas páginas que encontrei ficavam apenas no âmbito virtual.

Em 2015, já cansado de procurar, tive a ideia do nome, criei o logotipo e abri uma comunidade no Facebook. Imediatamente o Rafinha e o Cristian (Cabelo), também proprietários de 147, curtiram a página e começaram a ajudar na divulgação.

A data da criação foi proposital, 14/7. A partir desta página vários proprietários começaram a curtir e compartilhar, então veio a ideia do encontro, que foi o objetivo da criação da comunidade, e marcamos para agosto de 2015 o 1º Encontro dos Amigos do 147 prestigiando o encontro mensal de autos antigos que ocorre no estacionamento da Faculdade Fundação Santo André (na região do ABC Paulista).

CS: Qual é a finalidade de um clube automotivo de determinada marca ou modelo de carro, principalmente no caso de um modelo antigo, fora de linha?

OBOF: O objetivo é promover encontros presenciais entre proprietários para troca de ideias sobre manutenção, melhorias, modificações, onde encontrar mão de obra confiável a preço justo, peças etc.

Com isso também conhecemos pessoas novas e vamos aumentando o número de amigos. Nessas ocasiões geralmente marcamos um ponto de encontro antes do local oficial, de forma que rodamos um pedaço do caminho em comboio, chamando a atenção de quem passa até mesmo com carros novos. Com isso obtemos excelentes fotos que armazenamos em álbuns no Facebook e ficam disponíveis para todos.

CS: Quantos membros ativos possui o Amigos do 147?

OBOF: Somos um clube informal, com isso não há obrigatoriedade de cadastro nem pagamento de mensalidade/anualidade. Nossa página no Facebook tem quase 1.500 curtidas de proprietários ou entusiastas de todo o Brasil, temos um grupo no Whatsapp com aproximadamente 130 pessoas que podemos considerar que são os mais ativos.

CS: Normalmente onde acontecem os encontros?

OBOF: Já realizamos alguns encontros exclusivos para nosso clube, como já fizemos no estacionamento do posto Lago Azul, na Rodovia dos Bandeirantes, e também no estádio do Pacaembu, em São Paulo. Porém, a maioria dos nossos encontros acontece prestigiando encontros que são organizados no interior de SP por outros clubes de proprietários de veículos antigos. Já estivemos em Arujá, Jacareí, Vinhedo, Itatiba, Jundiaí, Caieiras, Praia Grande, Guarulhos, Santo André, etc.

CS: Para participar do Amigos do 147, é preciso ser ou já ter sido dono de um?

OBOF: Para participar ativamente é interessante que seja proprietário de um veículo Fiat 147 ou derivado (Panorama, Pickup, Fiorino, Oggi, etc). Porém não temos restrições desde que a pessoa seja um entusiasta do modelo. Em nossos comboios às vezes temos outros carros antigos, até porque alguns dos membros possuem outros modelos. Eu mesmo tenho, além de dois Fiat 147, um Fusca 74 e um Jeep 66.

 

CS: O clube possui website próprio ou página oficial no Facebook, para que pessoas de fora possam conhecer e acompanhar as atividades de vocês?

OBOF: Temos página no Facebook (facebook.com/amigosdo147), grupo fechado no Facebook (facebook.com/groups/amigosdo147) e email (amigosdo147@gmail.com). Também temos grupo no Whatsapp para os mais ativos. Não temos site, pois o clube é informal, e manter o registro de um domínio e uma página atualizada na internet gera custos, e como tudo acontece de fato nas redes sociais devemos manter assim por algum tempo.

 

CS: Quantos clubes do modelo Fiat 147 haveria espalhados pelo país? Há troca de informações entre eles?

OBOF: Não sei ao certo. Depois dos Amigos do 147, os mais ativos são do Rio de Janeiro e Belo Horizonte. Nordeste e Sul também têm algum movimento, mas não regular nem em tanta quantidade. Quando digo “ativos” quero dizer clubes, grupos ou equipes que realizam encontros presenciais de maneira regular, que é o que nós fazemos, mensalmente realizamos encontro e lotamos as rodovias com dezenas de veículos Fiat 147 e derivados em comboios jamais vistos.

CS: Quais são, em sua opinião, as principais qualidades do modelo?

OBOF: O antigomobilismo está crescendo muito no Brasil, sem dúvida reflexo do que há anos já ocorre no exterior. E como o Fiat 147 sempre foi um veículo discriminado seu preço hoje é o principal atrativo quando se trata de um veículo antigo. Na faixa de R$ 5 mil é possível encontrar opções bem razoáveis, mas já vi proprietários pedindo em verdadeiras relíquias quase R$ 25 mil. O modelo mais valorizado é a Fiat 147 Pick-up (popular saboneteira), além de rara, quando encontra coisa boa os preços estão entre R$15 e R$ 25 mil. Outra boa vantagem é o fato de o carro ser pequeno, pois ocupa pouco espaço na garagem e é fácil de manobrar. Se levarmos em consideração que a maioria não usa o carro no dia a dia, é um fator que sem dúvida faz a diferença.

CS: O Fiat 147 marcou a estreia da marca italiana como montadora no Brasil, na década de 1970. Fale um pouco sobre o que o modelo representa para os admiradores da marca.

OBOF: O modelo representa uma transformação na indústria automobilística do Brasil em sua época. São várias as inovações. Foi o primeiro carro com motor transversal, o primeiro veículo de passeio que deu origem a uma família (hatch, pick-up, station wagon, sedan, furgão) e o primeiro veículo com motor movido a álcool (etanol). Um veículo dos anos 70, compacto, com excelente espaço interno e o mais econômico de sua categoria, fatores que atualmente são bastante explorados nas propagandas de veículos em razão do meio ambiente e do trânsito nos grandes centros. Estava sem dúvida à frente de sua época!

 

CS: Por fim, como é o mercado de peças e acessórios originais ou compatíveis para reposição no Fiat 147?

OBOF: Peças originais de verdade só de estoque velho, mas em autopeças encontra-se muita coisa boa de marca confiável, até porque a maioria da mecânica do Fiat 147 foi usada até 1999 no Fiat Palio com motor Fiasa. Mas existem algumas lojas virtuais que são especializadas em peças, acabamentos e acessórios para veículos antigos, nada que o Google ou Mercado Livre não resolva.

 

ERRATA: Diferentemente do que informa a versão impressa desta reportagem, o gerenciador de fornecedores Renato Marcelo Daleffi não é fundador e tampouco presidente do Amigos do 147, mas sim um membro do clube.

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA