CONSCIENTIZAÇÃO PARA OS JOVENS

O Brasil, conseguiu reduzir o número de mortes por acidentes de trânsito em 19,4% ao longo das últimas duas décadas – índice ainda muito longe da meta assumida com a Organização das Nações Unidas (ONU), em novembro do ano passado, que prevê a redução à metade das mortes por acidente de trânsito.

De acordo com os dados do Ministério da Saúde, há 20 anos atrás, o país registrava 22,6 mortes por acidente de trânsito por 100 mil habitantes. A redução em 50% dos acidentes de trânsito é o principal objetivo de um conjunto de 12 metas voluntárias de desempenho global para a segurança no trânsito fixadas pelos Estados-Membros da ONU (incluindo o Brasil) dentro do âmbito dos indicadores estabelecidos para os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS). O trânsito mais seguro foi incluído na ODS 3 (boa saúde e bem-estar) e ODS 11 (cidades e comunidades sustentáveis).

Segundo os dados do DPVAT divulgados neste mês, o número de mortes por acidentes de trânsito caiu 2% entre janeiro e julho de 2018, frente a igual período do ano passado. Apesar de ações como a fiscalização da alcoolemia (a Lei Seca), o país ainda não foi capaz de melhorar a proteção de jovens entre 18 e 34 anos de idade, que representam 47% dos acidentados.

Para estimular o debate e alertar a sociedade sobre riscos para os jovens, a Michelin lançou a 4ª edição do Programa Michelin Best Driver, voltado para a conscientização dos jovens sobre a importância da direção segura e em especial do uso do cinto de segurança. Pela primeira vez, o programa levará o simulador de capotagem a universidades do Rio de Janeiro, São Paulo e Campinas. O simulador também ficará aberto ao público na Praia de Copacabana. O programa conta com a parceria da Federação Internacional de Automobilismo (FIA).

O embaixador da edição 2018 do programa é o atleta Fernando Fernandes, tetracampeão mundial de paracanoagem, que ficou paraplégico após um acidente automobilístico em 2009. Vítima do trânsito, ele investe parte do seu tempo em compartilhar sua experiência em prol da sensibilização das pessoas para um trânsito mais seguro.

“O acidente foi uma combinação de imprudências, mas a pior de todas foi a ausência do cinto. Talvez, se eu estivesse com o cinto, o choque teria sido amenizado. Faço questão de participar do Programa Michelin Best Driver porque é uma importante oportunidade de mostrar aos jovens que trânsito mata mais que arma de fogo, por exemplo. Medidas simples, como usar o cinto de segurança, por exemplo, salvam muitas vidas”, conta Fernando.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here