A data é celebrada dia 27 de julho com uma história que começou com o lançamento do Ford TT em 1917 e continua com as atuais linhas Ranger e Série F

Nascida da visão do fundador da empresa, Henry Ford, de criar um veículo comercial com chassi reforçado e espaço para carga na traseira, a primeira picape foi derivada do lendário Modelo T, que mudou a indústria automotiva e a própria natureza do trabalho.

Nasce uma lenda

Nove anos depois do lançamento do primeiro Modelo T, os consumidores queriam um veículo com maior capacidade de carga para uso em serviço e entregas. Em 27 de julho de 1917, a Ford respondeu com o Modelo TT, com o mesmo motor e cabine do Modelo T, mas com um chassi mais pesado capaz de transportar uma tonelada de carga útil. Com preço de fábrica de US$600, vendeu 209 unidades naquele ano.

Henry Ford vendia suas picapes principalmente em áreas rurais. “As picapes modelo AA, em particular, foram muito bem aceitas por esses clientes, que podiam usá-las tanto na fazenda como para ir à igreja no domingo”, destaca Bob Kreipke, historiador da Ford.

Como o Modelo TT, o Modelo AA era oferecido apenas como chassi-cabine, em dois comprimentos, com motor e eixo de maior capacidade. O segmento se tornou altamente competitivo e a Ford substituiu o Modelo AA pelo Modelo BB em 1933, usado em aplicações como veículo de entrega, transporte de animais e ambulância. Dois anos depois, a Ford introduziu o Modelo 50, equipado com seu famoso motor V8 Flathead.

A mudança da produção devido à guerra reduziu as vendas para os consumidores, mas trouxe um ganho de experiência na construção de picapes militares pesadas e 4×4 para transporte de pessoal.

Um ano depois da retomada da produção para os consumidores, em 1947, a Ford aproveitou esse conhecimento para oferecer mais inovações aos clientes. “A Ford viu isso como uma oportunidade e começou a trabalhar numa nova geração de picapes em 1948, que ficou conhecida como Série F ‘Bonus Built”, comenta Kreipke.

Esta primeira geração da Séria F ia da F-1 de meia tonelada à picape F-8 muito maior. Com a chegada da Série F de segunda geração em 1953, a Ford aumentou a capacidade e potência do motor e renomeou a linha.

Em 1957, a Ford estreou uma picape baseada em automóvel – a Falcon Ranchero.

Raça forte

Em 1961 – 44 anos após o Modelo TT – a Ford introduziu a quarta geração da Série F. O pacote Ranger de luxo surgiu em 1967, enfatizando o conforto e durabilidade, com direção e freios hidráulicos e chassi de perfil menor e a versão com cabine estendida SuperCab introduzida em 1974.

Com a chegada da Série F de sexta geração, em 1975, a Ford substituiu a popular F-100 pela F-150, com maior capacidade para combater as picapes C/K da General Motors. Em 1982, a Ford lançou a Ranger, uma picape média totalmente nova.

F-150 e Ranger

Em 1998, a Ford lançou a Série F Super Duty, para serviço pesado. E expandiu a linha com novos pacotes de acabamento e tecnologia, como King Ranch, Platinum e Limited, trazendo bancos premium de couro, multimídia SYNC com navegação, teto solar, bancos aquecidos e maior capacidade de carga.

A tecnologia de motor V6 EcoBoost estreou em 2011, com novo patamar de potência e economia.

A inovação continuou no segmento de picapes especiais, com as versões F-150 Harley-Davidson, SVT Lightning e Raptor – a primeira picape off-road de um grande fabricante inspirada nas corridas do deserto. A F-150 Raptor 2017 de segunda geração tem hoje motor V6 EcoBoost de mais de 450 cv, transmissão de 10 velocidades e um sistema de gerenciamento de terreno, com diferencial e caixa de transferência e eletrônica.

A presença da Ranger na América do Sul é formada pelos modelos 2.2 e 3.2 Diesel e 2.5 Flex, com sete airbags, controles de estabilidade, tração e enticapotamento, sistema multimídia SYNC e outras tecnologias avançadas.

Veja abaixo a evolução das Picapes da Ford:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here